Signo do Mês

O Signo de Escorpião

As notas-chave deste signo são, portanto, teste, provação e triunfo. Também podem ser chamadas luta, força e atitudes sagitarianas. Numa outra perspectiva, a experiência em Escorpião pode expressar-se em duas palavras: re-capitulação e re-orientação. Em Escorpião, dois dos factores mais ocultos emergem do passado e começam a captar a atenção do discípulo. Uma é a memória, o outro, como consequência da memória, é o Morador no Umbral.” (Astrologia Esotérica, p. 206)

Escorpião (23 de Outubro – 22 de Novembro) é um signo associado ao elemento água e pertence à cruz fixa, juntamente com os signos de Touro, Leão e Aquário. Portanto, os regidos por esta energia são chamados a enfrentar o problema colocado pela água fixa. A água é o símbolo do corpo emocional e, neste signo, é-se confrontado principalmente com os desafios postos por um corpo emocional muito intenso, que vive as circunstâncias da vida como se se tratasse de uma luta perpétua. O instinto de sobrevivência é grande e a fixidez de querer manipular os outros como mecanismo de defesa é sempre uma possibilidade. Bem como a recusa orgulhosa da morte e da transformação benéfica e inevitável.

Escorpião é uma energia animada pelo quarto raio, o raio de harmonia através do conflito, que rege justamente a humanidade como um todo. É este raio que, quando mal vivido, exacerba o conflito entre a personalidade e a alma. No entanto, quando os testes são enfrentados e a alma triunfa, é neste signo que se encontra o Discípulo Triunfante que, tendo vencido a sua natureza inferior, a serpente de nove cabeças (correspondendo cada três cabeças aos vícios dos corpos inferiores: corpo etérico-físico – sexo, conforto físico e dinheiro; corpo emocional – medo, ódio e ambição; corpo mental – orgulho, separatismo e crueldade) reavalia os hábitos do passado, aspira aos bens da alma e reorienta a sua vida nessa nova direcção. As energias de Escorpião estão relacionadas com a segunda iniciação, com as águas do Baptismo, onde o corpo emocional é completamente purificado e dominado.

O regente exotérico é Marte, uma energia de sexto raio, o raio de devoção e de ideal. A distorção desta energia dá azo à utilização indevida do desejo, um desejo voltado para a matéria e podendo redundar em vivência abusiva do sexo, extremismo emocional e manipulação psíquica.

O regente da alma continua a ser Marte, mas um Marte regenerado. É o sexto raio vivido na sua expressão mais elevada. O desejo é orientado para a alma e a “batalha pelo Senhor” é travada e vencida. A sombra do passado é definitivamente superada e ergue-se então o Discípulo Triunfante já capaz de entrever a Verdade que se anuncia nas altas montanhas que deve escalar no signo seguinte, Sagitário.

A palavra-chave ao nível da alma é “Guerreiro eu sou e da batalha emerjo triunfante”. Na batalha travada entre alma e personalidade, a alma vence a natureza inferior.

As energias de Escorpião, vividas ao nível da alma, têm como propósito maior a redenção da sombra, da natureza inferior. Quem venceu tais provas tem agora o poder e a possibilidade de ajudar aqueles que passam por crises e provas semelhantes, a transformarem-se a si mesmos.